terça-feira, 16 de julho de 2019

Cerimônia marca despedida e esperança no Movimento Romaria das Águas do Guaíba

Domingo 14 de Julho de 2019 - 
Cerimônia de Despedida do Santuário da Nossa Senhora das Águas para dar passagem a nova ponte do Guaíba.
Esta travessia está sendo construída desde 2015 sobre as águas que o movimento Romaria sempre defendeu, junto a Unidade de Conservação Ambiental Parque Estadual Delta do Jacuí. 
A obra parte do Bairro Humaitá em Porto Alegre, junto a BR 290, atravessando as Ilhas do Pavão e dos Marinheiros. E nesta última os pilares chegaram em 2019 exatamente onde se encontra o Santuário da imagem da Rainha da Ecologia.
 Nesta manhã fria e chuvosa a comunidade começa cedo a se reunir preparando a cerimônia em meio aos cantos.
Entre os presentes estavam Matilde Checcin, Irmã do Irmão Antônio, o Engenheiro Darci Bianco responsável pela planta do Santuário, Bispo Darley José Kummer, Presidente Everton Alfonsin da Fauers, responsável por levar a imagem da Romaria pelo Estado por 10 anos. 
Também, Frei José Deon de Canoas; Irmão Miguel Orlandi, líder Comunitário das Ilhas; Carlos Zancan, Coordenador do Centro Social Aparecida das Águas; Conselheiro Átila; Mãe Bia da Ilha da Pintada; Carolina Vasconcelos e Márcia Cavalcanti, representantes da Biblioteca do Arquipélago/Projeto Cirandar; Mãe Bárbara do Yle de Yansã e Xangô; Nazareth, Líder comunitária do Clube de mães das Ilhas; Rosanir Lindemayer, educadora do Projeto Turismo Rede Marista que contribuiu com estas menções no blog.
Padre Rudimar Dal'Asta e Bispo Darley José Kummer conduziram a benção e a cerimônia de encerramento que contou com a retirada de amostras da capela, por Matilde, Nazaré, Irmão Miguel e Everton Alfonsin a serem guardadas junto a imagem da Nossa Senhora das Águas.
Em seguida a Imagem da Rainha da Ecologia sai de seu Santuário para não mais voltar e uma pano preto cai num ato simbólico encerrando o espaço. Representando assim o luto desta comunidade pela perdas que vem sofrendo junto da Capela da Romaria das Águas. Ela foi construída pelo irmão Antonio com a indenização das sequelas de torturas que sofreu.
"A prisão foi o momento mais difícil da minha vida. Realmente, é uma experiência da tortura e da ditadura. Uma coisa completamente inimaginável. Eu nunca pensei que existisse esse inferno dos bastidores do poder. Eu era professor e de repente passei a ser tratado como verme. Mas a gente acaba se resignando e achando que o mundo é assim mesmo. Não guardo mágoas. Eu até sofri pouco, comparado com outros jovens que eu trabalhava."
- Irmão Antonio Cecchin em uma entrevista ao IH Unisinos -
-Imagem criada pela FAUERS-
A Imagem da Rainha da Ecologia seguiu levada pela comunidade em caminhada para a Escola Marista de Educação Infantil
Tia Jussara.
Chegando na Escola Tia Jussara foi realizada a celebração interreligiosa conduzida pelo Bispo Darley José Kummer e Padre Rudimar Dal'Asta com apoio das Iás Bea de Iemanja e Bárbara de Iansã.
Após a encenação do Apocalipse 12, que inspirou a criação da imagem da Nossa Senhora das Águas, se dá a missa e o ofertório.
 A celebração se cencerra com o canto do Hino da Romaria das Águas, com Márbara e Bia, escrito pelo Irmão Antonio Cecchin, a entrega de réplicas da Imagem e as falas da comunidade, anunciando um novo ciclo do Movimento. Após foi servido um galeto.